pixel

Proteção de endpoints é estratégica para segurança eficiente da rede

Os ataques virtuais dispararam em todo o mundo, em um momento onde muitas pessoas estão trabalhando de casa, alertando sobre a necessidade da proteção de endpoints.

O pishing explorado contém falsas informações sobre COVID-19, pandemia e coronavírus. Assim, elas funcionam como isca para atrair os usuários para sites falsos. E os hackers capturam dados pessoais e acessam computadores e dispositivos móveis.

Há anos, os ataques representam riscos para o gestor de segurança de TI, mas o aumento é um sinal de alerta. Isto é, ele revela que os hackers estão conseguindo ser mais eficientes nas suas abordagens, devido a muitas buscas por informações do cenário atual do mundo.

Por isso, a proteção do endpoint, que não está mais dentro do perímetro corporativo, é indispensável para o seu time de segurança.

Importância da proteção de endpoints

A melhor estratégia de defesa que você pode adotar é uma combinação de um EDR (Endpoint Detection and Response), que traz uma forte proteção no endpoint, com um Antivírus de Próxima Geração (Next Generation Antivirus).

Isso porque, o EDR usa várias técnicas de segurança, como inteligência artificial e machine learning.

Papel da inteligência artificial na proteção de endpoints

Com a machine learning alimentada por inteligência artificial e indicadores de Ataque (IOA), um antivírus de próxima geração protege de modo proativo o endpoint corporativo.

Na prática, a solução pode detectar atividades possivelmente maliciosas por meio de um monitoramento contínuo. Sendo assim, mantém o dispositivo do usuário protegido.

Além de técnicas que parem ameaças, uma solução de antivírus de próxima geração ajuda no controle do comportamento do usuário.

Ela também detecta vulnerabilidades nos endpoints, controle dos dispositivos conectados aos endpoints e visibilidade dos dispositivos conectados em seu ambiente, de forma automatizada e inteligente.

Opção de plataforma para proteção de endpoints

A líder do segmento é a plataforma Falcon, da CrowdStrike, de acordo com o Gartner. Em suma, ela conta com Antivírus de próxima geração e EDR baseadas em nuvem, o que propõe um novo conceito de proteção de endpoints.

Ela tem como intuito ser uma solução leve, sem assinaturas ou varreduras que carreguem o endpoint.

Três fases nas quais a solução atua

Prevenção: há interrupção do ataque antes de ser executado.

Identificação: há analise rápida da ameaça.

Resposta: assim que o incidente é detectado, o retorno é imediato.

O objetivo, com uma abordagem mais proativa, é garantir a segurança dos endpoints para reduzir ao máximo a área de superfície de ataque.

Conheça melhor a Nv7

Você pode conferir quais são os nossos serviços, e seguir o nosso LinkedIn para manter-se sempre atualizado sobre o mundo tecnológico!

© 2020 nv7. Todos os direitos reservados.